• Updated: Thursday, July 13, 2000

  • Visita do Ministro Geral à Província
    da Imaculada Conceição do Brasil

    O mês de junho de 2000, sem dúvida, ficará por bastante tempo na memória dos confrades de nossa Província, pois foi o mês em que muitos "descobriram" a carismática figura do Ministro geral, Frei Giacomo Bini. Sua visita fraterna à Província iniciou na noite do dia 18 de junho, quando foi recebido no aeroporto de Guarulhos/SP pelo Ministro provincial. O Definidor geral Frei Gerardo Moore, que o acompanhou, já chegara no dia anterior. O Ministro foi logo conduzido ao Convento São Francisco, onde a comunidade local o aguardava para uma janta-recreio, momento em que, além da saudação da Província, feita pelo Ministro provincial Frei Caetano, foi saudado também por Frei Lency Smaniotto, em nome da Fraternidade local.

    1. Em Rodeio — Santa Catarina

    Às 6h00 da manhã seguinte, dia 19 de junho, acompanhados de Frei Caetano Ferrari e Frei Ary Pintarelli, os visitantes já estavam no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, prontos para uma pequena viagem até Navegantes, a fim de visitar os confrades que vivem no Noviciado e no Estado de Santa Catarina. Ainda antes de levantar vôo, ficamos sabendo que a viagem de 50 minutos seria mais longa, pois, estando o aeroporto de Navegantes fechado devido ao denso nevoeiro, deveríamos desembarcar em Florianópolis e voltar, por via terrestre, até o Vale do Rio Itajaí. Bem que existem telefones celulares e Frei Caetano conseguiu contatar o Definidor Frei Ângelo José Luiz e Frei Benjamim Berticelli, que nos aguardaram em Itajaí e nos levaram até Gaspar.

    A recepção ao Ministro em Gaspar foi realmente fraterna: um grupo da OFS local deu ao Ministro e ao Definidor geral as boas vindas com cantos e presentes. A seguir a Fraternidade local ofereceu um reconfortante "café colonial". Visitamos a Igreja Matriz, vimos o sarcófago que guarda os restos mortais de Frei Godofredo Sieber e, em dois carros, seguimos diretamente para Rodeio, onde se chegou às 11h35.

    Os frades da Fraternidade permanente e os frades-noviços, tendo à frente o Guardião Frei Olivo Marafon, receberam calorosamente todo o grupo.

    Às 12h00, rezamos a oração do meio-dia, na igreja, e, logo após, seguimos para o almoço. Um pequeno descanso e, às 16h00, houve um encontro do Ministro geral e do Definidor geral para a América Latina com os noviços. Como não podia deixar de ser, foi um momento de troca de idéias e impressões sobre a formação para a vida franciscana. Às 18h00 rezaram-se as Vésperas e a seguir, às 19h00, solene santa Missa, concelebrada por vários sacerdotes, com a comunidade cristã de Rodeio. Frei Caetano presidiu esta celebração e Frei Giacomo dirigiu ao povo as palavras da homilia (em italiano). Ao final da celebração, o Prefeito da cidade, Dr. Hélio Fiamoncini, fez a saudação ao Ministro geral em nome do povo rodeense, prestando-lhe a homenagem devida. O coral da Paróquia, dirigido por Frei Pascoal Fusinato, e toda a assembléia animaram a celebração e, ao final, também o Círculo Tretino abrilhantou o ato com canções italianas, comovendo a todos. Por fim, após a bênção final, Frei Giacomo recebeu os cumprimentos do povo. E com uma ceia fraterna encerramos este dia.

    Às 7h00 do dia 20 de junho, iniciamos as atividades com a oração das Laudes, na igreja, antes do café da manhã. Às 8h00, o Ministro e o Definidor geral reuniram-se para uma conversa com o Ministro provincial, o Mestre dos Noviços e o Vice-Mestre, a fim de tratar de assuntos relativos à formação.

    Enquanto isso, os confrades que trabalham no Estado de Santa Catarina foram chegando. Faltaram bem poucos. Às 9h00, todos se reuniram com o Ministro geral para ouvi-lo, fazer-lhe perguntas, dar sugestões. Um momento que se tornou curto, apesar de todos permanecerem na sala da convocação do Noviciado por mais de duas horas seguidas. Às 11h30 celebrou-se a Eucaristia, entusiasticamente cantada por todos os frades e acompanhada pelos violões e atabaques dos Noviços. Uma pequena sessão de fotografias e já o almoço festivo (churrasco, evidentemente!) estava sendo serviço na nova cancha de bocha do Noviciado. À tarde, todos se dirigiram ao Eremitério Beato Egídio, para o último ato comunitário programado para a visita do Ministro: as solenes Vésperas. Pena que São Pedro não conseguiu controlar bem o tempo: a chuva começou fininha e foi aumentando de intensidade ao correr da tarde e a montanha cobriu-se de densa neblina. Como conseqüência, fomos privados da bela visão para o vale. Mas a recreação vespertina, na sala dos Noviços, foi outro momento de descontraído encontro, quando o Ministro se mostrou um autêntico São Francisco a refletir com seus jovens frades.

    Como conclusão deste primeiro encontro, devemos dizer que nossas fraternidades foram enriquecidas com esta visita. Um profundo amor por Jesus Cristo e pela vocação evangélica franciscana é a impressão que fica em nós acerca destes humildes, simples e menores irmãos, instrumentos de Deus para o mundo, a exemplo de São Francisco.

    2. Em Rondinha - Paraná

    Na manhã do dia 21, em dois carros, Frei Giacomo Bini e sua comitiva seguiram viagem, rumo a Campo Largo-Rondinha, no Paraná.

    Novamente, a chegada aconteceu por volta das 11h30. Toda a comunidade ainda estava nos seus respectivos trabalhos: os confrades estudantes nas salas de aula, os professores lecionando, outros nos afazeres diários. Mas não demorou muito, e todos se reuniram para os cumprimentos e boas vindas, seguindo-se o almoço, que constou essencialmente de uma bem preparada macarronada.

    Pela tarde, começaram a chegar os confrades que trabalham no Estado do Paraná. É verdade que não são muitas as casas que temos neste Estado, mas, também aqui, quase todos os confrades da região estiveram presentes. Às 15h00, todos estavam no salão da Fraternidade de Rondinha para ouvir as encorajadoras palavras do Ministro geral. As devidas apresentações foram germanicamente feitas pelo Guardião Frei Carlos José Körber. Como em Rodeio, o Ministro falou sobre nossa Ordem, com seus pontos positivos e suas dificuldades e Frei Gerardo Moore apresentou os projetos nos quais a Ordem, através do Definitório geral, está empenhada.

    A santa Missa concelebrada aconteceu pelas 18h00: um momento de oração que uniu a todos e no qual se lembraram situações importantes para a nossa vida. A ceia, à base de uma lasanha para que os visitantes não estranhassem demasiadamente a comida, foi seguida de fraterno recreio e nem então nossos frades estudantes deixaram Frei Giacomo tranqüilo: literalmente o rodearam, ouvindo-o e interrogando-o.

    Na manhã seguinte, dia 22 de junho, a uma temperatura de 3º negativos, mas com um brilhante sol invernal, sendo a Festa do Corpo de Deus, a santa Missa foi celebrada às 7h00. Após o café da manhã, o Ministro e o Definidor reuniram-se "a portas fechadas" com os confrades estudantes. Mais tarde, pelas 11h00, idêntica reunião aconteceu com a comunidade formadora.

    Ao meio-dia, como não podia deixar de ser, os confrades estudantes tiveram ocasião de mostrar sua aprimorada técnica em preparar o churrasco, servido no refeitório. Na ocasião foram oferecidas aos visitantes duas artísticas velas fabricadas pelos estudantes.

    Pelas 15h00, a comitiva movimentou-se novamente, para uma rápida visita à Fraternidade do Convento Bom Jesus, no centro de Curitiba. Havendo ainda um pouco de tempo, o Definidor Frei Guido Scheidt mostrou alguma coisa de Curitiba e já se dirigiu ao aeroporto para a viagem ao Rio de Janeiro e o destino final, que era Petrópolis.

    3. Em Petrópolis — Rio de Janeiro

    No aeroporto do Rio, o Definidor Frei Vitalino Piaia, o Guardião de Petrópolis, Frei Johannes Bahlmann, e dois estudantes já estavam aguardando a chegada do Ministro. Por via terrestre, todos rumaram imediatamente para o Convento do Sagrado, em Petrópolis, aonde chegaram por volta de 21h30. A comunidade já aguardava no pátio interno, entre a igreja e o convento. Os cumprimentos foram efusivos, pois muitos já conheciam o Ministro geral e o Definidor. Também para Frei Giacomo este foi um momento especial, porque se encontrou pela primeira vez com seu antecessor mais distante, o ex-Ministro geral Frei Constantino Koser.

    Dia 23 de junho, após a oração das Laudes e o café da manhã, o Ministro geral e o Definidor reuniram-se com os frades estudantes e professores de Petrópolis e todos os confrades dos Estados do Rio de Janeiro, do Espírito Santo e também de São Paulo, que puderam deslocar-se até Petrópolis. Foi um momento forte de reflexão e troca de idéias.

    Pelas 11h30 todos nos reunimos na igreja para a solene celebração da Eucaristia, no fim da qual o Ministro provincial Frei Caetano Ferrari, em nome da Fraternidade provincial, agradeceu a visita do Ministro geral, oferecendo-lhe como recordação uma artística imagem do Bem-aventurado Frei Antônio de Santana Galvão, escultura em madeira policromada (cedro), feita pelo artista Wellington Omar Santos Ferreira. O almoço que se seguiu foi ao mesmo tempo solene e fraterno, vendo-se a alegria do feliz encontro estampada no rosto de todos.

    À tarde, o encontro do Ministro geral foi com o Definitório provincial. Novamente a troca de experiências e as sugestões para uma eficiente animação da Fraternidade provincial deram o tom dominante. Depois, enquanto o Definitório provincial discutia alguns problemas mais urgentes, o Ministro geral manteve um encontro com a comunidade formadora de Petrópolis e já iniciou a preparação para um ato de grande importância: a solene bênção da nova biblioteca e das instalações do Instituto Teológico Franciscano de Petrópolis, no prédio do antigo Colégio São Vicente.

    Esta cerimônia, que, dada a sua importância, é merecedora de uma descrição especial, iniciou às 19h30, junto a uma grande fogueira no pátio atrás do Instituto e terminou duas horas depois com um coquetel oferecido aos numerosos convidados presentes nas dependências da biblioteca, ainda sem os livros que compõem o acervo.

    Na manhã de sábado, dia 24 de junho, festa do precursor São João Batista, o ex-Ministro geral Frei Constantino e o atual Ministro geral Frei Giacomo, acompanhados de alguns confrades, concelebraram na capela interna do Convento. Após o canto das Laudes, o primeiro encontro do Ministro foi com os frades estudantes de Petrópolis. Depois, o Ministro, o Definidor geral e um belo grupo de frades dirigiram-se ao morro do Bairro Osvaldo Cruz, onde vive a Fraternidade Nossa Senhora de Guadalupe, desejosa de mostrar ao Ministro a casa onde mora atualmente e também a casa, ali perto, recentemente adquirida e que está sendo restaurada pelos próprios frades que nela vão residir: rezamos e, em procissão, levamos a imagem da Padroeira da América Latina para a nova casa, entronizando-a na sala de visitas. Aqui, pelo contacto com o povo do morro, o Ministro teve ocasião de recordar um pouco o seu tempo de missionário na África.

    À tarde, Frei Vitalino Piaia levou os visitantes ao Rio de Janeiro. Primeiramente para uma rápida visita e encontro com as Irmãs Concepcionistas do Mosteiro da Ajuda, em Vila Isabel, e depois com os confrades do Convento Santo Antônio, no centro do Rio de Janeiro, onde a recepção foi soleníssima: toda a comunidade aguardava à frente do Convento e a entrada deu-se pela Igreja ao solene toque do órgão. A janta e o recreio fraterno que seguiram foram momentos de descontração e encontro.

    A manhã do último dia, 25 de junho, iniciou cedo, pois o programa era intenso e os lugares distantes: o primeiro compromisso foi com a comunidade das Irmãs Clarissas de Nova Iguaçu. A fraterna recepção das Irmãs tocou a todos pela simplicidade e pelo calor humano; a santa Missa, celebrada na capela do mosteiro, além da participação dos confrades e das Irmãs, contou com a presença de numerosos fiéis e foi abrilhantada pelos cantos dos jovens da localidade. Foi um momento de oração marcado pela espontânea vivacidade do povo e dos jovens da Baixada Fluminense.

    Embora o convite para ficar no alto daquela colina fosse forte, era preciso partir. Sob a guia de Frei Piaia, despedimo-nos das corajosas irmãs de Nova Iguaçu e rumamos para a Paróquia Nossa Senhora Aparecida, onde já aguardavam os confrades da Baixada (São João de Meriti e Nilópolis), acompanhados das respectivas Fraternidades da OFS e da JUFRA. Um pequeno momento de descanso e todos se reencontraram na igreja para as saudações, o canto da Hora média e nova sessão de fotografias. O almoço festivo, servido na varanda da residência dos frades, foi bem ao estilo daquele povo: preparado com todo o carinho teve um sabor eminentemente franciscano.

    E estava chegando a hora de se despedir. Frei Vitalino Piaia ainda teve forças e coragem para um pequeno passeio pelo Rio de Janeiro, levando o Ministro até o alto do Corcovado, ponto obrigatório para quem chega ao Rio de Janeiro pela primeira vez, e já a comitiva dirigia-se ao aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio, onde o Ministro geral e o Definidor geral tomariam o avião que os levaria a Belo Horizonte, a segunda etapa desta sua visita ao Brasil.

    E todos nós ficamos, procurando assimilar as palavras do Ministro geral, para que nossa vida seja uma constante evangelização.

    Frei Ary E. Pintarelli, ofm


    Foto 1:
    Frei Giacomo e Frei Gerardo com os Frades estudantes, Petrópolis, Provincia Imaculada Conceição do Brasil

    Foto 2:
    Frei Giacomo com Frei Caetano Ferrari, Ministro Provincial, e Frei Ari Pintarelli

    Foto 3:
    O Ministro Geral e Frei Gerardo com Frades estudantes e Formadores, Petrópolis, Provincia Imaculada Conceição do Brasil

    Foto 4:
    Visita as Clarissas em N. Iguaçu, R.J

    Foto 5:
    Visita ao Mosteiro das Concepcionistas (Mos. da Ajuda), Rio de Janeiro

     



    © Macmade on Thu, Jul 13, 2000 at 21:16:00 by John Abela ofm (Communications Office - Rome)
    HTML 3.0 compatible Java enabled browser required - Best viewed with Netscape at 640x480x67Hz
    Maintained by John Abela ofm and Gianfranco Pinto Ostuni ofm